Blog da

Dialética





Finanças para servidores públicos

04/02/2021

Encontrar-se endividado é experiência ruim e compartilhada por mais de 60% dos brasileiros. A boa notícia é que é possível livrar-se das dívidas - só leva um pouco de tempo. Embora algumas dívidas possam ser inevitáveis ​​- como aluguel ou empréstimo de um carro - você pode e deve lidar com outras dívidas desnecessárias que estão causando estresse..
 

Jessé Mineiro de Abreu atua no serviço público há 19 anos, atualmente é defensor público. Escreveu o livro “Finanças para servidores públicos” para ajudar servidores a se livrarem das dívidas e se tornarem investidores, ele traz algumas dicas de como lidar com o endividamento.

“Os insights de Jessé nesse livro certamente são como um farol que ilumina os caminhos dos servidores em busca de uma realidade financeira satisfatória e de sua própria felicidade. As particularidades desse grupo são tratadas com tanta atenção que esse livro deveria ser um manual obrigatório para todo servidor no ato de sua posse. Deveria constar como parte de um kit de boas-vindas. ” - André Bona, Educador Financeiro

Qual foi o critério utilizado para a escolha do tema “Finanças para servidores públicos”?

Jessé Abreu:
A educação financeira nasceu de uma necessidade e se tornou uma paixão, escrevi o livro que eu gostaria de ter lido quando precisei. No início da minha carreira como servidor público, apesar da estabilidade de receber salário todos os meses, não tive uma boa inteligência financeira para fazer o uso do dinheiro. Então, comecei a estudar, estudei por muitos anos o assunto. Durante a pandemia comecei a escrever, o livro nasceu em alguns anos, mas ele tomou forma em 2020 durante a pandemia. Percebi que vários colegas servidores estavam preocupados por conta das incertezas que estavam vindo.

Um conselho para quem já tem dívidas

Jessé Abreu:
Quem já tem dívidas deve focar na quitação. Primeiramente, deve fazer uma pequena reserva financeira de pelo menos 50% do seu salário, tem que buscar fazer um detox financeiro, tirar aqueles gastos supérfluos, deixar de pagar multas e juros de contas que já podem ser pagas. Para fazer esse detox é necessário ter uma constância, um foco para quitar as dívidas. Não adianta começar a investir na bolsa ou investir de qualquer maneira quando se tem dívidas, porque os juros cobrados pelas dívidas são muito maiores que os dividendos gerados em investimentos comuns.

Um conselho para quem se tornou servidor público recentemente

Jessé Abreu:
Jessé Abreu: Quem se tornou servidor público recentemente não deve se iludir pensando que, por isso, se tornará rico ou livre de problemas financeiros. Pelo contrário, o endividamento do setor público é o dobro do setor privado. Quem toma posse, se já tiver dívidas, deve dar enfoque ao pagamento das dívidas e na criação de uma reserva financeira. Quando a pessoa passa no concurso e toma posse ela tem um déficit de consumo - necessidade de ter bens de consumo que ela não tinha anteriormente -, mas preferencialmente eles devem ser feitos de um por um, de maneira sensata. De forma que, se a pessoa começar a comprar tudo que achou que merecia por ter estudado, vai acabar se endividando e caindo no ciclo vicioso dos empréstimos consignados.

Sobre a publicação do livro:

Jessé Abreu:
O maior desafio da publicação de um livro é você fazer com que sua mensagem chegue até as pessoas. Quando você tem a consciência de que você tem um livro e de que ele tem o potencial de afetar positivamente a vida das pessoas, você quer que mais e mais pessoas saibam do seu produto.

Em que momento você percebeu que suas experiências poderiam auxiliar outras pessoas em situação semelhante?

Jessé Abreu
: Quando começou a pandemia, eu e minha esposa, felizmente, já estávamos preparados. Nós tínhamos colocado em prática os ensinamentos do livro há algum tempo. Então, nós tínhamos uma boa reserva financeira. Quando começou a pandemia começou-se a se falar em atrasos de salário e em redução salarial, percebemos que a filosofia que nós adotávamos era eficaz. Ela nos deu a oportunidade de passar por aquele momento mais tormentoso do início, que era desconhecido. Para os funcionários da iniciativa privada foi muito mais difícil, mas os servidores públicos, por conta daquela mentalidade engessada de sempre confiar no Estado, muitos realmente se desesperaram. Colegas que não tinham dinheiro para passar o mês se ocorresse um atraso no pagamento do salário teriam que usar o crédito, fora os que já estavam endividados. Então, como já tínhamos uma reserva que daria para um bom tempo, o sucesso do que eu coloquei no livro foi o que me fez publicá-lo. Ele foi apenas colocado no papel, já existia na minha cabeça e no meu coração.


Durante a pandemia servidores públicos bateram o recorde de dívidas por crédito consignado de acordo com dados do Banco Central. Uma pesquisa do Serasa Experian, mostra que 29% dos servidores em todo o País, tanto federais quanto estaduais ou distritais, estão inadimplentes. Planejar finanças, determinar metas de curto e longo prazo e criar um plano equilibrado para atende-las, torna-se mais simples quando se tem informações como as do livro “Finanças para servidores públicos”.
Mais algumas dicas de planejamento:

  • Faça uma lista de todas as suas dívidas.
  • Para empréstimos e cartões de crédito observe a taxa de juros e o pagamento mensal.
  • Decida o quanto você realmente pode pagar a cada mês.
  • Negocie suas taxas de juros e a forma de pagamento.
  • Tente pagar as próximas contas dentro do prazo.

Seja diligente no futuro.

Depois de formular um plano e cumpri-lo, você pode se ver livre de dívidas e munido do conhecimento para continuar assim.
 

Por Natália Ribeiro


Compartilhe esse post:

Siga nossas redes sociais:


redes


Faria Lima Corporate, Avenida Brigadeiro Faria Lima, 4509 - 8º andar - Itaim Bibi, São Paulo - SP.
Telefone: (31) 9977-88273